Design Instrucional: concepção e modelos

Ao desenvolver o projeto de um curso,  uma disciplina  ou até mesmo uma atividade on-line, é preciso considerar uma série de fatores, mas talvez o mais importante deles seja a percepção de que a estratégia de aprendizado on-line é, em sua própria essência, diferente do presencial. Para contribuir para que a aprendizagem ocorra, faz-se necessário entender e definir o que é desenho instrucional.

Design instrucional (DI)  é uma teoria, cujo corpo de conhecimento destina-se a pesquisa de estratégias de instrução. Dedica-se a produzir conhecimentos sobre métodos e princípios de acordo com as necessidades de aprendizagem. Está relacionado a  ação sistemática e intencional de ensino que envolve planejamento, desenvolvimento, aplicação de técnicas, atividades, materiais em situações didáticas determinadas com o objetivo de promover a aprendizagem dos/das estudantes (IBIN, 20007)

Existem 3 tipos de modelos de DI: modelo de DI fixo, modelo de DI Instrucional aberto e modelo de DI contextualizado. Ao criar o seu projeto, o Design Instrucional precisa escolher uma dessas estratégias para desenvolver o seu curso. É importante conhecer esses modelos já que cada realidade educacional se adequa a um tipo ou outro.  Observe na tabela abaixo as especificidades de cada um:

   DI FIXO    DI INSTRUCIONAL ABERTO  DI CONTEXTUALIZADO
    DefiniçãoModelo de pré-engenharia. Há uma separação completa entre as fases de concepção e execução.Também chamado de DI bricolagem ou design on-the-fly, esse modelo envolve um processo mais artesanal que privilegia mais os processos de aprendizagem do que o produtoBusca equilíbrio entre automação dos processos de planejamento e personalização e da contextualização da situação didática.
    CaracterísticasAutoinstrucional. Feedback automático. Não tem tutor. Curso centrado no planejamento.Tem o acompanhamento do tutor. Há construção colaborativa do conhecimento.Uma mistura do DI Fixo e do DI Aberto. Há tutoria e os conteúdos são definidos de forma prévia. Mudanças ocorrem o tempo todo.
ÊnfaseNo produtoNo processoNo aperfeiçoamento.
ConteúdoEstruturado. Para fazer qualquer alteração é preciso muito esforço e planejamento.Conteúdos são criados, refinados, modificados durante a execução do programa educacional.  Produção de novos conteúdos elaborados pelos participantes.
InteraçãoCom a máquina.Com os colegas e tutor.Com os colegas e tutor.
RecursosTutor eletrônicoAVA’s e ferramentas colaborativas: fóruns, chats, wikis, webconferências, etc.Ferramentas da Web 2.0: listas de discussões, redes sociais (Twitter, Facebook, etc.), fóruns, Wikis, etc;
 Papel do DI Trabalha com uma tela vazia ou com o apoio de uma ferramenta de autoria e tomará decisões relacionadas às partes do fluxo de aprendizagem que serão automatizadas, regras de sequenciamento, de interação social (se é que ocorrerão) e ao grau de intensidade dessas interaçõesUtiliza um AVA e realiza um conjunto de ações pré- configuradas de forma que possa ser adaptada no decorrer do curso mediante feedback obtido junto aos alunos.Gera um plano base para o ensino aprendizagem, implementando uma ação educacional preparada para lidar com incertezas, de ação individualizada e de reação espontânea às influências do contexto.
Papel do educadorNão há participação do educador.Personaliza e contextualiza o conteúdo.Organiza e sistematiza o conteúdo gerado pelos participantes.
Teoria da aprendizagemComportamentalistaConstrutivistaSocial
Tipo de AprendizagemIsoladaSignificativaPersonalizada.
Tipo de tecnologia utilizadaDistributivaInterativaColaborativa
Modelo de aprendizagem eletrônicoInformacionalSuplementar e/ou Essencial.Colaborativo e/ou imersivo.
 VantagensAtendimento a um grande público ao mesmo tempo.O processo de aprendizagem é adaptado a realidade do público-alvo. Favorece a aprendizagem significativa.Customização do processo de aprendizagem. Favorece a aprendizagem significativa. Promove flexibilidade do processo educacional e atualização do conteúdo.
DesvantagensExige muito tempo e esforço no planejamento. Não há troca entre os alunos. Alterações no curso requer conhecimento técnico.Exige muito tempo e esforço do educador na execução.  Demanda tempo e esforço do professor no planejamento, execução e avaliação. Exige conhecimento prévio dos alunos.

Você conhecia essas abordagens? Acha que elas podem contribuir para a criação de atividades digitais, sejam elas híbridas, remotas ou apenas on-line? Comente aqui o que você achou. 👇🏾👇🏾👇🏾

Deixe um comentário