Blog: Glossário Digital

Unidades de medidas digitais

Se você assistiu ao segundo vídeo da playlist “Glossário Tecnológico” , você aprendeu e/ou relembrou que os dados são processados e armazenados em nossos equipamentos digitais utilizando a linguagem binária, ou seja, todos as operações são reunidas utilizando apenas zeros e uns, formando o bit.

O bit é formado por dois valores (0 e 1). Os bits  são agrupados de 8 em 8 e assim temos o byte. A forma mais fácil de entender o byte é relacioná-lo com um caractere: cada letra, símbolo ou número que você digita, o processador de seu dispositivo entende com um código de 8 zeros e uns, ou seja, 1 byte. Caso essa explicação não tenha ficado clara e queira entender melhor, sobre o funcionamento dos bits e bytes, sugiro que assista ao vídeo nº2 da Playlist (é só rolar a página para cima para assistir).

 

 

= caractere

measurement-krawiecka-3176118_960_720

É só lembrar da conversão do sistema de medidas:

100 centímetros valem 1 metro

 

1000 metros vale um quilometro.

 

Só que o sistema de medida digital não utiliza a base 10 e sim a base 8!

O sistema binário é uma combinação de bits. Para cada processado ou armazenado, o equipamento digital utiliza diversos 0 e 1 seguidos

A tabela ASCII (American Standard Code for Information Interchange) abaixo mostra o alfabeto e sua conversão para o código binário.

Como o byte origina-se de um código binário (0 e 1), as próximas unidades de medidas digitais também utilizarão a base 2.  E outro detalhe importante: as unidades seguem uma crescente, assim como o sistema de medidas, então a próxima unidade sempre será maior do que a outra. 

 

 

O Kylobyte (KB)

Você já deve ter observado esse kilobyte aparecer quando está baixando algum arquivo, pois os dados transferidos de um dispositivo a outro é medido em kilobyte por segundo. 

Você também já deve ter visto  algum influenciador digital comemorar porque conseguiu os primeiros 10 k de seguidores.. Esses 10 k significa 10.000 seguidores. Os 10 mil não é um nº exato, pois um 1 Kylobyte vale 1024 bytes., mas sempre se arrendonda  para facilitar a compreensão.

A abreviação correta do Kilobyte é KB e não K! O K é a abreviatura da unidade de temperatura Kelvin.

O megabyte (MB)

Você se lembra quando as músicas começaram a ser gravadas em CD? Na época foi uma revolução no mundo da música, pois o disco era capaz de guardar músicas até 700 MB. Por isso, costuma-se dizer que a utilização do megabytes representou a possibilidade de ingressarmos em um mundo multimídia, já que é possível armazenar muitas fotos  e  músicas num CD de 700 MB.

Lembre-se: o armazenamento de arquivos de mídia depende da qualidade (quanto maior a qualidade do arquivo, mais espaço ele ocupa!)

1 mebabyte equivale a 1024 Kilobytes.

O Gigabyte (GB)

O Gigabyte já foi muito utilizado  e tem perdido espaço para o Terabyte (TB). Quando comprei meu primeiro computador, seu HD era de 20 GB.

1 Gibabyte vale 1.024 Megabytes.

Um DVD armazena 4,8 GB. Então, aquele filme que assiste na Netflix no conforto de sua casa ocupa um disco de 4.700 megabytes! Você pode imaginar o tamanho dos servidores que armazenam os filmes disponíveis na Netflix?

Como estamos acostumados a usar a base 10, geralmente, arredonda-se as unidades de medida digitais para 1.000 e seus múltiplos, para facilitar os cálculos.

Vou traduzir essa quantidade e esses nomes em um exemplo prático: tirar fotos hoje em dia, virou uma grande mania. Todo mundo tem milhares de fotos guardadas. Por isso, vou comparar essas unidades de medida com fotos, conforme mostro na tabela a sua esquerda. 

Terabyte, Petabyte, Exabyte, Zetabyte

Até o momento da escrita desse texto (setembro de 2019), as unidades de armazenamento que nós simples mortais utilizamos é até o terabyte (TB). E quem quem utiliza os petabytes os servidores de grandes empresas, tais como Google e Facebook. Para você ter uma ideia: o Google processa 20 petabytes de dados (80 quadrilhões de bytes!) por dia e 10 bilhões de fotos armazenadas nos servidores do Facebook ocupam um espaço de 1,5 petabyte. Como todo mundo publica envia arquivos pelas redes sociais, está explicado porque estas empresas precisam de computadores com grande espaço de armazenamento. 😀😀😀😀😀

Mas ainda usando o exemplo de arquivo multimídia: se você tivesse um 1 HD externo de 1 Exabyte você poderia arquivar: 314 bilhões de músicas em mp3 (com tamanho médio de 3,5MB cada); 1,8 bilhão de horas de vídeos em qualidade DVD (média de 0,6 GB por hora) e 137,3 bilhões de fotos (em alta resolução, média de 6 MB por foto). É muito, mas muito arquivo, não é mesmo!? :O :O:O:O

E o yottabyte?

Essa unidade de medida digital ainda não é utilizada, mas com a quantidade de dados publicados diariamente e o avanço tecnológico cada vez mais veloz, podemos esperar notícias dela muito em breve. 😉

Ainda não acabou! Existe também o Googlebyte...

Imagine o número 10 seguido de 100 zeros.

Esse é o número que representa o Googlebyte. Ele representa vários quintilhões de vezes as maiores instalações que armazenam todos os servidores  de hoje.

Diferença entre entre Mb/MB; GB/GBb; TB/Tb

O Mb (megabit), Gb (gibabit) e Tb (terabit)  são usados para medir velocidades e taxas de transferência. Portanto, os “mega” dos planos de Internet equivalem a megabits (Mb), que são menores que os megabytes (MB).
E o MB, GB, TB são relacionados a capacidade de armazenamento. Por isso, é essa sigla que você deve olhar ao comprar um equipamento (desktop/celular/notebook) ou dispositivo removível (HD externo, pen drive, cartão de memória) .
O que diferencia uma sigla da outra é a proporção. O megabit está relacionado aos bits e o megabyte, me milhões de bytes. E se você viu, meu vídeo nº 2 da playlist, já sabe que o byte vale 8 vezes menos do que o bit.

E o que nos reserva o futuro?

A Internet que utilizamos ainda transmite os dados através dos bits. Os dados transmitidos por fibra ótica podem chegar a 800  Gibabits (Gb). E já existem cabos submarinos que transmitem os dados em terabits (tb). Pode demorar um pouco, mas aos poucos vamos ingressar no envio de dados por terabits (Tb).

Segundo previsões de especialistas, por volta  de 2025, os dados na Internet serão enviados por petabytes ou exabytes e não precisaremos fazer download de nada (uma prática muito comum em locais onde a qualidade do sinal é instável e/ou fraca), pois tudo estará disponível em questão de segundos.

Eu não vejo a hora disso acontecer porque uma Internet ultrarrápida vai facilitar bastante minha vida. E a sua? 

Também desejo ter  dispositivos com capacidade de armazenamento  cada vez maiores. O meu notebook que uso para trabalhar tem 1 TB. Mas o meu celular vou ter que trocar em breve porque nem o o HD virtual (Dropbox e Google Drive são os que eu uso) estão dando conta… 😉

E a capacidade de armazenamento de seus dispositivos, como está? Escreva a resposta nos comentários. 😎 ^_^ :*

Quer contribuir para que outros também aprendam sobre esse assunto?

Compartilhe em suas mídias

Clique em dos botões abaixo para escolher em qual rede social, você ajudará as pessoas a saberem mais sobre esse assunto: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no skype
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no delicious
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print

Quer aprimorar suas habilidades digitais?

Escreva para mim, clicando no botão abaixo.

Ofereço minha experiência em formações EdTech (educação mediada por tecnologias) para ajudar as pessoas a desenvolveram suas habilidades tecnológicas e conquistarem cada vez mais as suas competências digitais.

Postagens recentes no Blog

Unidades de medidas digitais

Blog: Glossário Digital Unidades de medidas digitais Se você assistiu ao segundo vídeo da playlist “Glossário Tecnológico” , você aprendeu e/ou relembrou que os dados

Read More »